Áudios gravados com autorização da Justiça Italiana apontam que atacante sabia da condição da vítima do abuso sexual

Foto: Ivan Storti/Santos FC

Após as gravações do caso Robinho na Justiça Italiana ganharem repercussão aqui no Brasil, nesta sexta-feira (16), o Santos Futebol Clube disse ter chegado a um acordo com o atleta e suspendeu o contrato firmado com o jogador no último dia 10 de outubro.

O comunicado foi feito à torcida por meio de uma postagem realizada nas redes sociais do time da Vila na noite desta sexta-feira (16).

A publicação diz que o acordo foi cancelado para que o atacante se dedique exclusivamente a sua defesa no processo que corre na Itália.

Entenda

Robinho e o amigo Ricardo Falco foram condenados em primeira instância na Justiça italiana a 9 anos de prisão por violência sexual de grupo contra uma jovem de origem albanesa. A decisão foi tomada em novembro de 2017 pelo Tribunal de Milão. Em dezembro deste ano, o caso volta a ser analisado em segunda instância.

O crime aconteceu na Boate Sio Café, em Milão, na Itália, na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. Além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros são apontados como suspeitos de participação no crime de violência sexual.

Durante o processo, o atacante brasileiro negou o crime e alegou que o sexo oral ocorreu de forma consesual.

Os quatro deixaram a Itália durante as investigações e, por isso, respondem um processo separado.

Nesta sexta-feira, as gravações de uma conversa entre Robinho e Folco foram divulgadas na imprensa. Durante o diálogo, fica comprovado que os autores sabiam da condição da vítima.

Compartilhar via: