Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quarta-feira que pedirá ao Ministério da Saúde mudança na orientação de isolamento da população durante a pandemia do novo coronavírus apenas para idosos e pessoas com comorbidades (outras doenças). Ao deixar o Palácio da Alvorada, Bolsonaro relatou que vai conversar com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, sobre a decisão.

O novo coronavírus provocou mais de 18 mil mortes no mundo desde dezembro de 2019, quando foram registrados os primeiros casos na China. No Brasil, onde ainda não atingiu o pico, a doença matou 48 pessoas.

Após criticar o confinamento e defender a abertura de comércios em pronunciamento na noite dessa terça-feira (24), o chefe do Planalto pediu a adoção do que chamou de “isolamento vertical”, ou seja, apenas para o grupo de risco.

“Conversei por alto com o Mandetta ontem (terça-feira). Hoje vamos definir essa situação. Tem que ser, não tem outra alternativa”, disse Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada. “A orientação vai ser vertical daqui para frente. Eu vou conversar com ele e tomar a decisão. Não escreva que já decidi, não. Vou conversar com o Mandetta sobre essa orientação.”

Nesta quarta-feira, Bolsonaro voltou a dizer que há “histeria” e “comoção” com o coronavírus. “É preciso botar povo para trabalhar e preservar idosos”, afirmou.

Segundo Bolsonaro, foi ele mesmo quem escreveu o discurso transmitido em rede nacional, em que contrariou todas as recomendações das autoridades sanitárias para este período de quarentena, em razão do avanço da pandemia.

(Agência Estado/Itatiaia BH)

Compartilhar via: