Acessório é defendido por especialistas como umas formas eficazes de proteção à covid-19

(Foto: Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (10), que desobrigará o uso de máscara para vacinados e para quem já se infectou com a covid-19 no Brasil. Segundo ele, um parecer será feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

“Acabei de conversar com um tal de Queiroga. Não sei se vocês sabem quem é. Nosso ministro da Saúde. Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados para tirar esse símbolo [a máscara], que, obviamente, tem utilidade para quem está infectado. A quarentena não é para todos”, disse.

Bolsonaro diversas vezes manifestou-se contrário ao uso de máscara, indicado por especialistas como uma das formas eficazes de proteção à covid-19. A posição do presidente em defender o fim do uso do acessório vai de encontro à opinião de virologistas.

Apesar do avanço da vacinação no país, o percentual de pessoas que receberam duas doses dos imunizantes é de cerca de 10%. Apenas a partir da segunda dose a eficácia, comprovada em testes, é assegurada. Além disso, as vacinas não eliminam as infecções. Também há casos comprovados de reinfecções, em meio a variantes.

 

Fonte: Rede Itatiaia

Compartilhar via: