TIMÓTEO CLIMA

Criminosos fecham vias, atacam batalhão da PM e fazem reféns em Guarapuava, no Paraná

Foto: Reprodução

Uma tentativa de assalto a uma empresa de transporte de valores de Guarapuava, na região central do Paraná, deixa dois policiais e três moradores feridos entre a noite desse domingo (17) e a madrugada desta segunda-feira (18). Até o Exército foi acionado para reforçar a operação contra os cerca de 30 bandidos do ‘novo cangaço’ que estavam com armamento pesado e sete veículos blindados.

Os assaltantes fizeram moradores como reféns e fecharam os acessos da cidade, que fica a 256 quilômetros de Curitiba e tem cerca de 183 mil habitantes. Para dificultar a ação da polícia, os bandidos incendiaram dois carros em frente ao batalhão da PM.

Moradores relatam momentos de terror. Houve confronto e dois militares foram baleados, além de três civis atingidos, mas sem gravidade.  A situação estava tão tensa que o Exército foi acionado para reforçar a segurança.

Apesar do cerco e do reforço na segurança, a PM informou que, por volta das 5h45, os bandidos fugiram rumo ao interior do estado.

‘Novo cangaço’ 

O ‘novo cangaço’ é uma expressão antiga, que surgiu há mais de 30 anos, e é usada para definir quadrilhas violentas, fortemente armadas e preparadas.

Os ataques crimes são praticados geralmente em cidades do interior, aterrorizando a população e, principalmente, trabalhadores de agências bancárias que, muitas vezes, são feitos reféns e têm familiares ameaçados.

O “novo cangaço” ganhou notoriedade com o aumento da repercussão deste tipo de crime, que também pode ser praticado em lojas de luxo. Os criminosos não chegam às cidades despreparados. As gangues surgem com armamento pesado e equipe treinada para a prática do crime.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Desenvolvido por Vale Telecom