TIMÓTEO CLIMA

‘O dono do Atlético é o Atlético, e não perderá a soberania’, diz Rubens Menin sobre SAF

Foto: Pedro Souza/Atlético

Se tornar Sociedade Anônima do Futebol (SAF) é pauta para a maioria dos grandes clubes brasileiro, assim como no Atlético, aniversariante nesta sexta-feira (25). Contudo, mesmo tendo o Manchester City-ING como exemplo de gestão, a cúpula do alvinegro não quer se apressar para tomar qualquer tipo de decisão neste aspecto de transformação.

Durante o programa Bastidores, Rubens Menin, um dos 4Rs do Atlético, disse que, na próxima reunião do Conselho Deliberativo, marcada para o dia 31 de março, será apresentado um “breve relato” de modelo de SAF para o Galo.

“Acho que é importante que uma SAF venha a acontecer no Atlético. Só que estamos fazendo com muito cuidado, é uma coisa nova, a gente acha que vai dar certo, mas estamos estudando, temos que levar para o Conselho, que é o órgão maior do Atlético. Na próxima reunião, que será dia 31, nós já vamos levar um breve relato do que será a SAF, o que a gente pode ser”, disse.

“O Atlético é um clube valioso, a gente não pode vender o Atlético por qualquer preço e não podemos perder a gestão do clube. O Atlético não pode cair nas mãos de terceiros sem a nossa gerência. É um assunto complicado, estamos pegando ótimos consultores, é o caminho do futuro, mas tem muita coisa pra rolar”, acrescentou.

Ainda de acordo com o empresário, em participação especial na Itatiaia, não há negociações com o Grupo City, ligado ao clube inglês, e nem com nenhum outro possível interessado.

“O Atlético é a noiva cobiçada do futebol brasileiro, por tudo. A contrário de dois anos atrás, hoje é uma força do futebol e visto de fora diferente, com disciplina de gestão. Temos mostrado para os investidores que o Atlético é muito sério e tem uma gestão de altíssimo nível, além de ter um conselho muito bom. Eles têm muito conforto com o clube. Vamos discutir isso com muita serenidade. Visitamos o Manchester City, que é exemplo de time de futebol, por gestão, investimento e tecnologia. Dentro do nosso plano de fazer do Atlético uma potencia mundial, humildemente, teremos que aprender muito com o futebol europeu e trazer para o Atlético”, destacou Menin.

“Estamos fazendo um planejamento muito bacana. Quem dera possamos associar um grande nome, de forma soberana, de igual para igual. Discutimos muito isso. Fala-se muito dos ‘4Rs’, mas somos um grupo de 30 pessoas. Estou otimista e, se tudo acontecer de forma positiva, teremos um futuro muito bacana, porque o Atlético merece. Tudo favorece ao investidor que vier, mas que o clube se mantenha soberano, pois nunca a perderá. Dono do Atlético é o Atlético”, acrescentou.

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Desenvolvido por Vale Telecom