Raposa venceu por 1 a 0 e acabou com invencibilidade da equipe catarinense em casa

(Foto: Igor Sales / Cruzeiro)

O Cruzeiro impôs à Chapecoense a segunda derrota da equipe catarinense em toda a Série B do Campeonato Brasileiro. Com um bom futebol, o time celeste dominou as ações na Arena Condá, onde a equipe alviverde ainda não havia perdido na competição e levado somente um gol, e venceu por 1 a 0, na noite desta terça-feira, pela 23ª rodada.

Rafael Sóbis marcou o gol da vitória celeste em cobrança de falta aos 32 minutos do segundo tempo.

Após os empates com Guarani e Figueirense em casa, o Cruzeiro voltou a vencer na Série B e ampliou para nove partidas a invencibilidade na competição. A Raposa segue na 15ª colocação, com 28 pontos, nove a menos do que o Juventude, último integrante do G4, e oito a mais que o Náutico, que abre a zona de rebaixamento.

Na próxima rodada da Série B, o Cruzeiro enfrenta o Confiança, sexta-feira, às 21h30, no Mineirão. No sábado, às 21h, a Chapecoense visita o Guarani, no Brinco de Ouro.

 

O jogo

O Cruzeiro ficou na bronca com a arbitragem logo no início do jogo. Aos nove minutos, a atacante Anselmo Ramon acertou o braço no rosto do zagueiro Ramon. O árbitro mostrou o cartão amarelo, mas os cruzeirenses queriam que o jogador da Chapecoense fosse expulso.

Voltando ao jogo, o Cruzeiro era ligeiramente superior e levava mais perigo no ataque. O goleiro João Ricardo teve que trabalhar. Primeiro em um chute de longe de Sóbis em que ele teve que cair no canto e espalmar para escanteio. Depois, em uma finalização quase da pequena área de Régis quando salvou com os pés.

Do outro lado, Fábio praticamente não foi exigido. A Chape deu apenas dois chutes ao gol no primeiro tempo, sendo que nenhum deles foi em direção à meta celeste.

Na etapa final, a equipe catarinense assustou Fábio pela primeira vez em uma bicicleta de Anselmo Ramon no meio do gol que o camisa 1 celeste defendeu. Mas foi só.

O Cruzeiro retomou as rédeas da partida e teve um pênalti assinalado pelo árbitro, após Rafael Sóbis cair na área. No entanto, o auxiliar não viu toque do zagueiro da Chape no atacante celeste e chamou atenção do juiz, que voltou atrás e anulou a penalidade.

Mesmo assim, o Cruzeiro ainda aumentou a pressão. Sóbis cobrou falta e carimbou o travessão. Um ensaio para o que viria a seguir.

Minutos depois, Sóbis teve nova chance, em falta da meia-lua, de frente para o gol, e bateu no cantinho, abrindo o placar para a Raposa na Arena Condá.

A Raposa ainda quase ampliou com Pottker nos minutos finais. E seria um golaço. O atacante viu João Ricardo adiantado e arriscou do meio-campo. O goleiro da Chape conseguiu voltar a tempo para espalmar a bola.

 

Chapecoense 0 x 1 Cruzeiro

Chapecoense: João Ricardo; Ezequiel (Perotti), Luiz Otávio, Felipe Santana e Busanello (Felipe Garcia); William Oliveira, Alan Santos (Vini Locatelli), Matheus Ribeiro (Denner) e Alan Ruschel; Paulinho Moccelin (Mike) e Anselmo Ramon. Técnico: Umberto Louzer

Cruzeiro: Fábio; Raúl Caceres, Ramon, Manoel e Patrick Brey; Adriano, Jadsom Silva e Régis (Filipe Machado); Airton (Arthur Caíke), William Pottker (Welinton) e Rafael Sóbis (Marcelo Moreno). Técnico: Felipão

Motivo: 23ª rodada – Campeonato Brasileiro Série B
Data: 24 de novembro de 2020, terça-feira, às 21h30
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)

Gol: Rafael Sóbis (32’/2º)

Cartão Amarelo: Anselmo Ramon, Alan Santos, William Oliveira, Alan Ruschel (Chapecoense); William Pottker, Régis (Cruzeiro)

Árbitro: Zandick Gondim Alves Junior (RN)
Auxiliares: Francisco de Assis da Hora e Reinaldo de Souza Moura (RN)

 

Fonte: Rede Itatiaia

Compartilhar via: