Com este desempenho, a Raposa chegaria a 63 pontos, a pontuação média necessária para subir à Série A

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

O Cruzeiro já virou a página do tropeço contra o CSA, na Arena Independência, e volta as atenções para o Avaí, adversário da próxima sexta-feira (18), pela 30ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A partida é mais um confronto direto na tabela para sonhar com a briga pelo acesso à Série A em 2020.

Contudo, a Raposa sabe que terá que melhorar o desempenho. Se considerada a pontuação média para um clube obter o acesso, desde 2006, o clube teria que atingir 63 pontos. Ou seja, somar 24 em 27 possíveis, oito vitórias em nove confrontos restantes, aproveitamento de 88,8%.

Quando considerada a menor pontuação de um clube que garantiu o acesso à divisão de elite da Série B, que foi o Vitória, em 2007, com 59 pontos, o Cruzeiro precisaria de mais sete vitórias, ou seis vitórias e três empates, 20 pontos em 27 possíveis, desempenho de 74%.

Apesar das projeções, o técnico Luiz Felipe Scolari, desde que chegou ao Cruzeiro, em entrevistas, afirmou que o foco era garantir a permanência na Série B. Os resultados vieram. A Raposa somou 26 pontos em 36 possíveis sob o comando do treinador e afastou de vez a briga contra o rebaixamento.

“Dentro do que nós planejamos, quando aqui chegamos, está bom porque já temos 39 pontos e acreditamos com mais três, quatro, saímos da zona de Série C. Pronto. É a primeira parte. Depois vamos pensar na segunda, quanto tivermos oportunidade”, disse em entrevista coletiva após o empate contra o CSA.

 

Compartilhar via: