TIMÓTEO CLIMA

João Doria anuncia desistência da pré-candidatura à Presidência: ‘com o coração ferido’

Doria se reuniu com a cúpula tucana nesta manhã| Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que deixou a corrida presidencial. O anúncio foi feito, nesta segunda-feira (23/5), na capital paulista,  e contou com a presença do presidente do PSDB, Bruno Araújo.  Doria enfrentava resistências internas no PSDB e de partidos da terceira.

Coloquei meu nome à disposição do partido hoje. Entendo, serenamente, que não sou a escolha da cúpula do PSDB. Aceito essa realidade com a cabeça erguida. Sou homem que respeita o bom senso, diálogo e equilíbrio. Sempre busquei e seguirei buscando o consenso, mesmo que ele seja contrário à minha vontade pessoal”, afirmou Doria.

“O PSDB saberá tomar a melhor decisão no seu posicionamento para as eleições deste ano. Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve. Com a sensação inequívoca do dever cumprido e missão bem realizada. Com boa gestão e sem corrupção”, completou.

Presidentes do PSDB ‘rifam’ Doria

Na última quarta-feira (18/5), os presidentes dos partidos “rifaram” Doria e endossaram o nome da emedebista após uma pesquisa interna indicar que a rejeição menor a Tebet dava mais condições a ela, que ao ex-governador de São Paulo, de tentar quebrar a polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Doria contesta a decisão e já mostrou disposição para recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma vez que sua pré-candidatura foi oficializada em prévias no PSDB em novembro do ano passado, quando derrotou o então governador gaúcho, Eduardo Leite.

Em carta enviada ao presidente do PSDB, Bruno Araújo, o ex-governador acusou o comando do partido de querer promover um “golpe” para retirar seu nome “no tapetão”. Entenda a polêmica envolvendo a sua candidatura aqui.

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Desenvolvido por Vale Telecom