Por cerca de 40 minutos, ele abordou temas importantes para os mineiros e para o Brasil

Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) concedeu entrevista exclusiva à Itatiaia nesta terça-feira (20). Por cerca de 40 minutos, ele abordou temas importantes para os mineiros, como a duplicação da BR-381 até Governador Valadares, metrô de Belo Horizonte, terceira via das eleições, voto impresso, preço elevado do gás de cozinha e gasolina, entre outros assuntos. “A duplicação sai. Dependemos de uma decisão do TCU que está prevista para ser dada amanhã”, disse sobre a BR-381.

Sobre a ampliação do metrô de BH, disse não ter nada de concreto, mas existe a possibilidade para o ano que vem.  

Ouça aqui a íntegra da entrevista:

Bolsonaro admitiu que o voto impresso pode morrer na comissão, mas garantiu que apresentará provas de fraudes nas urnas eletrônicas nos próximos dias. O presidente voltou a dizer que Aécio Neves (PSDB) ganhou as eleições de 2014. No entanto, o próprio político mineiro disse recentemente que não houve fraude no pleito. “Espero na semana que vem apresentar as provas de fraude. Vamos apresentar uma fraude do 2º turno de 2014. Segundo as pessoas que trabalharam em cima disso, o Aécio Neves ganhou as eleições”, disse.

O presidente também não confirmou que vai ser candidato e disse que terceira via não decola. “O povo não engole isso. Um vaselinão não vai dar certo, não vai atrair a simpatia da população. Está polarizado. Estamos eu e o ex-presidiário, que desviou bilhões dos cofres públicos. Vamos disputar as eleições do ano que vem”, disse Bolsonaro, que elogiou o governador de Minas, Romeu Zema (Novo) .

Sobre a disparada do preço do gás de cozinha, que já é vendido a R$ 125 em Belo Horizonte, Bolsonaro disse que não tem imposto federal e culpou o ICMS e o lucro do revendedor. Ele também apontou o imposto estadual pelo aumento dos combustíveis. Bolsonaro, no entanto, não falou da política de preços da Petrobras baseada no mercado internacional.

“Temos um projeto para regulamentar uma emenda constitucional de 2001, onde diz que o valor do ICMS tem que ser um só, fixo, em valor nominal para todo o Brasil. Se a gente conseguir aprovar, vamos conseguir mostrar onde está o abuso”, disse.

Bolsonaro também disse que o valor do Bolsa Família vai ser fixado em, no mínimo, R$ 300, a partir de novembro. Disse que é pouco, mas é o valor que o governo pode oferecer. Ele confirmou ainda que o programa não mudará de nome.

O presidente também disse que o valor de R$ 5,7 bilhões do fundo eleitoral aprovado na Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO) extrapolou e, por isso, ele tem a liberdade de vetar. A bola, conforme Bolsonaro, ficará com o Congresso Nacional. Ele também falou sobre a relação entre os poderes.

“Cada Poder tem que saber que tem limite. Eu tenho limite, por que o Judiciário não pode ter limite? E a mesma coisa no tocante ao Legislativo. É importante a gente manter a harmonia entre nós, o que não é fácil”, disse.

O presidente também voltou a atacar a CPI da Covid. “Tem narrativas que nascem na CPI que jogam contra você como se você fosse uma pessoa negacionista, uma pessoa que fosse responsável por mortes no Brasil”, disse. “O relatório do Renan [Calheiros] pode jogar no lixo. É uma palhaçada o que estão fazendo. Estão nos acusando de se corromper com a Covaxin. Não compramos uma dose, sequer, não pagamos um centavo, sequer.”

Bolsonaro ainda falou do projeto que permite a mudanças de clubes de futebol em empresas. Destacou que, mesmo com a mudança, alguns clubes terão dificuldade para se recuperar. “Pretendemos ajudar os times de futebol, dar liberdade a eles. Agora, tem certos clubes que se endividaram ao extremo. Vai ser difícil sair dessa crise. Eu lamento o Cruzeiro, um time tradicional, assim como o Vasco, o meu Botafogo”.

(Rede Itatiaia)

Compartilhar via: