Por: Itatiaia BH

 

Divulgação: Cruzeiro

O Cruzeiro soube ser cirúrgico e sagrou-se bicampeão Mineiro na tarde deste sábado, após empatar o clássico contra o Atlético, por 1 a 1, na Arena Independência. O título corou a ótima campanha da equipe no Estadual, que terminou a competição de forma invicta.

Precisando da vitória, o Atlético até saiu na frente no placar, com Elias aproveitando a sobra e marcando de cabeça. O Cruzeiro chegou ao gol de empate no segundo tempo, após o juiz da partida, com o auxílio do VAR, marcar pênalti de Leonardo Silva. Fred cobrou, sem defesas para Victor.

Por ter vencido a partida de ida no último domingo (14), no Mineirão, por 2 a 1, o Cruzeiro jogava pelo empate. Desta forma, conquistou o Estadual pelo segundo ano consecutivo.

Primeiro tempo

O clássico começou quente e aberto, com uma bola na trave para cada lado antes dos 12 minutos. Ricardo Oliveira para o Atlético, após lançamento de Geuvânio, quase marcou. O Cruzeiro deu a resposta em grande jogada de Marquinhos Gabriel, que cruzou para área e viu o zagueiro Igor Rabello jogar contra o próprio patrimônio; a bola, caprichosamente, tocou o travessão.

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

O Atlético fazia valer o mando de campo – e a necessidade de vitória – para controlar a maioria das ações do jogo, enquanto o Cruzeiro apostava em chegadas pontuais para criar as melhores oportunidades. Melhor para a equipe da casa, que chegou ao gol aos 29 minutos.

Chará, em bela jogada, lançou para Ricardo Oliveira. O centroavante limpou e chutou para defesa de Fábio. No rebote, Elias empurrou para dentro das redes, de cabeça.

O Atlético cresceu após o gol e quase chegou ao segundo em bela jogada de Geuvânio, aos 42 minutos, que chutou da entrada da área. Fábio, mais uma vez em tarde inspirada, fez grande defesa.

Segundo tempo

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

 

O Cruzeiro voltou para a segunda etapa disposto a propor o jogo. Aos 7 minutos, Robinho, de falta, tirou tinta do travessão de Victor, em chute colocado.

O clássico continuava pegado e truncado, com reclamações de ambos os lados envolvendo a arbitragem. Porém, a partida perdeu em criações ofensivas.

O técnico Mano Menezes, tentando melhorar a qualidade da equipe, colocou Pedro Rocha na vaga de Marquinhos Gabriel. A mudança deu certo e saiu dos pés do velocista a jogada que resultou no empate celeste – no lance, o árbitro de vídeo voltou a ser protagonista, após assinalar pênalti de Leonardo Silva.

Fred foi para a cobrança e bateu sem chances para o goleiro Victor, colocando o título novamente nas mãos celestes.

Atlético: Victor; Guga, Léo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Alerrandro), Elias, Geuvânio (Bolt), Chará e Luan (Vinícius); Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana (interino)

Cruzeiro: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Dodô; Henrique, Lucas Romero (Thiago Neves), Robinho, Rodriguinho (Lucas Silva) e Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha); Fred. Técnico: Mano Menezes

Motivo: jogo de volta da final do Campeonato Mineiro
Data e horário: 19 de abril de 2019, sábado, às 16h30
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Elias (29’/1ºT); Fred (34’/2ºT)

Cartões amarelos: Geuvânio (2’/1ºT); Edilson (36’/1ºT); Luan (10’/2ºT); Thiago Neves (29’/2ºT); Ricardo Oliveira (30’/2ºT); Victor (49’/2ºT) ; Fred (49’/2ºT) e Fábio (51’/2ºT)

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (CBF-SP)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (CBF-RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (CBF-RS)
VAR: Leandro Pedro Vuaden (CBF-RS)

Renda – R$ 1.208.669,00
Público – 21.862

 

 

Divulgação: Cruzeiro
Confira os gols do jogo: 

Compartilhar via: