Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O lateral-direito Edilson foi um dos jogadores, ao lado de Léo, que até o momento aceitaram reduzir o salário para permanecer no Cruzeiro em 2020. Mas, além de diminuir os vencimentos, o jogador revelou em entrevista coletiva nesta quarta-feira que fez um acordo com o clube para receber os atrasados dos últimos meses.

De acordo com Edilson, ele parcelou para os próximos anos os valores a que tem direito do Cruzeiro. Os jogadores ainda não receberam os salários de novembro, dezembro, 13º, férias e FGTS. Segundo o lateral, a confiança nos novos gestores foi importante para tomar essa decisão.

“As coisas contratuais, que estavam atrasadas, eu parcelei para outros anos. É muito difícil, mesmo ganhando bem ou não, ficar muito tempo sem receber. Eu abri mão porque as pessoas que estão aqui hoje, os novos gestores do clube, estão mostrando uma seriedade muito grande para ajudar o Cruzeiro. Eu tive que me adequar a esse momento e optei por ficar por isso”, disse.

Já em relação ao desempenho em campo, Edilson quer dar a volta por cima no Cruzeiro. Um dos atletas mais criticados pela torcida durante a péssima campanha no Campeonato Brasileiro, que culminou com a queda do clube para a Série B, o lateral-direito afirmou que terá “uma segunda chance” na temporada 2020.

“É uma reconstrução, uma segunda chance pra mim. É o momento de eu fazer o meu melhor, de tentar provar mais uma vez que eu posso dar a volta por cima”, destacou.

No início do ano, chegou-se a cogitar a possibilidade de Edilson voltar ao Grêmio, mas a negociação não deu certo. O jogador comentou sobre as tratativas e afirmou que o desejo pela transferência partiu da diretoria e não dele, que não sabia das conversas entre os clubes.

“Toda negociação pode acontecer ou não. Foi assim que foi tratada minha volta ao Grêmio. Tive uma conversa, mas ambas as partes não se entenderam e eu não fui. Desde o início, não partiu de mim isso daí, e sim a diretoria antiga, que acabou falando com o pessoal do Grêmio sobre meu retorno, até sem eu saber. Mas o pensamento agora é aqui. Desde que se encerrou a negociação, juntamente com meu empresário e família, o pensamento era de ficar aqui nessa reconstrução. Acho que esse que é meu pensamento em 2020, pensar no Cruzeiro e esquecer o que passou”, finalizou. (Itatiaia BH)

Compartilhar via: