Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar na manhã desta sexta-feira que seu interesse nas trocas que pretendia teriam objetivo de promover a segurança de sua família. O ex-ministro Sergio Moro diz que o mandatário queria fazer trocas na Polícia Federal (PF).

“A interferência não é nesse contexto da inteligência não, é no contexto da segurança familiar. É bem claro, é na segurança familiar. Não toco PF na palavra, nem Polícia Federal na palavra segurança familiar”, afirmou ao sair do Palácio da Alvorada, ao comentar o vídeo da reunião ministerial.

Bolsonaro afirmou que a PF não é responsável pela sua segurança, que fica a cargo do Gabinete da Segurança Institucional (GSI).

Irritado, o presidente chamou a entrevista de “palhaçada” se recusou a continuar respondendo perguntas sobre o tema. “Eu não vou me submeter a um interrogatório da parte de vocês. Espero que a fita se torne pública para que a análise correta seja feita”, disse.

O presidente disse que, após a divulgação do vídeo da reunião ministerial, será criticado por falar palavrões. “O que rouba e mete a mão, esse está a altura (de ser presidente) e fala bonito. Fala manso. Como o ex-presidente boca mole e continua falando besteira por aí”, disse sem citar diretamente a quem se referia.

(Agência Estado)

Compartilhar via: