Foto: Bruno Cantini/Atlético

Assim como milhões de brasileiros, o diretor de futebol do Atlético, Alexandre Mattos, está em casa em quarentena por conta da pandemia do novo coronavírus. No entanto, o dirigente afirmou, em uma live na tarde desta terça-feira promovida pela TV Galo, que segue trabalhando e faz contatos diários com o técnico Jorge Sampaoli.

Mattos disse também que vai trazer reforços para o Atlético, mas como o futebol está completamente parado não há como ter conversas neste momento. O diretor destacou que já tem as posições definidas para atender ao estilo de Sampaoli, porém não pode revelar quais são para não atrapalhar as negociações.

A ideia, segundo Mattos, é fazer contratações para ‘melhorar bastante o time’. “O torcedor pode ter certeza que a ideia é melhorar bastante, porque os objetivos são muito grandes. A conversa que eu tive com presidente Sérgio (Sette Câmara) foi bem franca, bem direta. Ele passou esses últimos anos saneando o clube e conseguindo equilibrar um pouco mais as contas. Agora chegou o momento que ele entende, e nós também”, declarou.

Confira alguns pontos da entrevista de Alexandre Mattos:

Incertezas de quando voltará o futebol, dificuldades em se fazer o planejamento e a preocupação com a parte financeira dos clubes

“A gente não tem uma visão clara ainda de tempo, de quando será o retorno. Pelas informações, o vírus no frio é pior, talvez a gente passe uma situação que não seja apenas de um ou dois meses, talvez até um pouco mais. Essas incertezas trazem bastantes dificuldades em fazer qualquer tipo de planejamento, e, obviamente, a questão financeira é bastante preocupante para todos nós”

Assistindo aos jogos do Atlético na quarentena e contatos diários com Sampaoli

“Cada dia eu vejo o jogo do Atlético dos últimos seis meses, o elenco não modificou tanto. Tenho contatos diários com o Sampaoli, todo dia eu falo com ele, hoje de manhã cedo acordei com uma ligação dele. O Sampaoli é uma pessoa que se envolve, é muito intenso também fora de campo, não só na beira do gramado. Diariamente a gente vê possibilidades de jogadores, mas o futebol está parado, todo mundo preocupado com seus familiares, e a gente não consegue avançar ainda. Tem um tempo para isso, como o presidente falou ontem muito bem. Não adianta avançar algumas coisas porque a gente não sabe quando é o retorno. Então, temos que ter esse cuidado”

Paralisação vai ajudar no planejamento do Atlético nas contratações?

“É difícil dizer isso agora porque a gente não sabe o tamanho da pausa. Ela pode ser longa ou pode ser curta, a gente precisa entender isso. Não temos uma noção ainda do que vamos enfrentar. A verdade é que estamos parados, e parado não é bom. O Sampaoli estava começando a colocar suas ideias. A gente está tentando encontrar um caminho para fazer o planejamento fora do campo e, obviamente, ter tempo quando voltar para que o Sampaoli coloque em prática aquilo que ele que ele sabe muito bem fazer”

Atlético terá mais reforços?

“Depende do presidente. Se ele liberar, a gente vai atrás, então podemos voltar a pergunta pra ele (risos). Mas a gente já tem uma ideia, claro. Daquilo que o Sampaoli gosta de jogo, é de característica, de ideia, de filosofia, de metodologia de trabalho. A gente tem que buscar no mercado atletas que se encaixam neste perfil”

Ideia é ‘melhorar bastante o time’

“O torcedor pode ter certeza que a ideia é melhorar bastante, porque os objetivos são muito grandes. A conversa que eu tive com presidente Sérgio (Sette Câmara) foi bem franca, bem direta. Ele passou esses últimos anos saneando o clube e conseguindo equilibrar um pouco mais as contas. Agora chegou o momento que ele entende, e nós também”

Há posições definidas para essas contratações?

“Tem, mas não posso falar porque pode atrapalhar e não é isso que o torcedor quer. A gente tem uma ideia clara, o Sampaoli já nos passou a ideia dele. Obviamente, a gente faz aquilo que é bom para o Atlético, sempre. Vamos trabalhar nas ideias dele. Pensamos em algumas possibilidades, são possibilidades importantes, mas antes a gente precisa entender o que vai acontecer no nosso cenário de futebol e de finanças”

Assista à íntegra da entrevista:

(Itatiaia BH)

Compartilhar via: