TIMÓTEO CLIMA

Policial enforca companheira, saca a arma e foge com o filho do casal em Uberaba

Foto: Prefeitura de Uberaba/Divulgação

Um policial militar, de 39 anos, foi levado para a delegacia suspeito de enforcar e agredir com socos a companheira, de 27 anos, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, nesse domingo (8). Em relato à Polícia Militar (PM), a vítima contou que já registrou outros boletins contra o homem, que já atirou para o alto durante discussões para intimidá-la.

De acordo com ela, o companheiro começou a beber de madrugada, depois, mais tarde, ele começou a preparar um churrasco. Ao perceber que ele estava muito calado, a mulher perguntou se algo tinha acontecido, mas ele se negou a falar. Por isso, ela foi para o quarto do casal.

Minutos depois, ele foi para o quarto e começou a discutir com ela por “motivos banais”. Ao encerrar a discussão, a vítima ligou para um parente do companheiro e comentou que não “aguentava mais a situação”, quando ele escutou a conversa e retornou para o quarto, dando início a uma nova briga.

O suspeito a empurrou, depois a enforcou e a agrediu com socos. Uma testemunha, de 23 anos, tentou separar a briga, quando o homem pegou a arma de fogo para evitar que alguém se aproximasse. Na sequência, ele guardou a arma, tomou o aparelho de celular da vítima, pegou o filho do casal, de 2 anos, e fugiu do local de carro.

Após algum tempo, ele voltou para a residência. À polícia, o militar disse que bebeu e que estava chateado por não ter conseguido conversar com sua mãe, já que era Dia das Mães. Além disso, afirmou que a companheira insistiu para saber o que estava acontecendo, ele explicou e ela teria iniciado uma discussão. O homem disse ainda que pegou seus pertences, saiu de casa para evitar que a briga se prolongasse e levou o filho para protegê-lo. O militar negou ter levado o celular da vítima e sacado a arma.

No momento que os policiais iriam conduzi-los para a delegacia, a vítima disse que não queria mais prejudicar o homem e pediu que ele saísse de casa.  No entanto, a corporação orientou a vítima e apreendeu a arma do militar. De acordo com os policiais, ela apresentava lesões leves nos braços, mas dispensou atendimento médico. O militar disse que estava ferido, mas também rejeitou atendimento.

Os dois foram levados, juntamente com o material apreendido, para a delegacia de Polícia Civil.

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Desenvolvido por Vale Telecom