TIMÓTEO CLIMA

Zema altera proposta de reajuste para servidores e aumenta parcelas de abono fardamento para Forças de Segurança

Parcelas do Auxílio Fardamento serão pagas quatro vezes ao ano com a nova proposta | Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

O governador Romeu Zema (Novo) anunciou, na manhã desta sexta-feira (11), alterações no Projeto de Lei sobre reajuste dos servidores de Minas Gerais. Em coletiva de imprensa na Cidade Administrativa, o chefe do Executivo informou que o acréscimo de 10,06% aos salários de todos os servidores será retroativo a janeiro para as Forças de Segurança e profissionais de Saúde — a proposta anterior previa isso somente a servidores da Educação. Além disso, o abono fardamento ou auxílio vestimenta será de quatro parcelas de R$ 1,8 mil. A proposta anterior era de três parcelas do mesmo valor. Atualmente, as Forças de Segurança recebem apenas uma parcela.

Desta forma, Zema disse que não pode atender ao pedido de recomposição salarial de 24% das forças de segurança de Minas Gerais. Apesar disso, ele declarou: “Gostaria de dar mais [maior valor de reajuste], seria uma maravilha em ano eleitoral, mas, para mim, o que vale mais é a responsabilidade”, afirmou o governador, voltando a citar a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Em estado de greve desde o dia 21 de fevereiro, a categoria pede que o governo de Minas cumpra um acordo realizado em 2019, que previa recomposição salarial dos servidores das forças de segurança anualmente, de 2020 a 2022.

Zema também aproveitou a coletiva para parabenizar e agradecer as forças de segurança pelo papel que desempenham no estado, já que dados do Ministério de Justiça e Segurança Pública apontaram, em 2021, que Minas é o estado mais seguro do Brasil.

“Queria agradecer a todos os comandantes que negociaram defendendo suas categorias, mas não temos o que esconder, inclusive eu sempre cito no meu discurso. Minas está em primeiro lugar no ranking da transparência. Não temos o que esconder. Está aqui as contas. De onde vamos tirar recursos?”, afirmou Romeu Zema.

Auxílio vestimenta 

Segundo a secretária de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), Luísa Barreto, as quatro parcelas do auxílio vestimenta propostas pelo governo serão pagas em meses fixos: fevereiro, maio, agosto e novembro. Em 2022, o pagamento da parcela referente a fevereiro cairá na conta dos servidores em até 30 dias após o sancionamento da lei.

Substitutivo

Ainda conforme Barreto, o substitutivo, com as alterações sobre o número de parcelas do auxílio vestimenta e do retroativo a janeiro, será encaminhado ainda nesta sexta-feira (11) para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Segundo ela, outra mensagem será enviada à Casa Legislativa pedindo para retirar o regime de urgência de apreciação do projeto de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), que poderia travar a apreciação do reajuste. “Vamos dar o máximo de celeridade na aprovação da recomposição a todos os servidores”, explicou.

 

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Desenvolvido por Vale Telecom