Reprodução Whatsapp

 

A orientação da Backer é de que os consumidores não tomem a cerveja Belorizontina de nenhum lote. O alerta foi passado pela diretora de marketing da empresa, Paula Lebos, em coletiva nesta terça-feira e também é válido para a cerveja Capixaba. “Eu não sei o que está acontecendo. A Backer nunca comprou o dietilenoglicol.”

Em três lotes da Belorizontina (L2 1354, L1 1348 e L2 1348) foi indicado a presença de dietilenoglicol, substância suspeita de causar a síndrome nefroneural. Já foram notificados 17 casos da intoxicação, sendo 16 pacientes homens e uma mulher. Uma vítima morreu.

Paula também reforça que as autoridades já receberam notas fiscais dos produtos adquiridos pela Backer. Segundo ela, o único produto utilizado no processo de resfriamento das cervejas é o monoetilenoglicol.

Nessa segunda-feira (13), a Polícia Civil informou que o dietilenoglicol foi encontrado em um dos tanques de resfriamento. Segundo o médico legista Thalles Bittencourt, superintendente de polícia técnico-científica da Polícia Civil, as notas fiscais apresentadas pela empresa são de monoetilenoglicol, um galão foi periciado e confirmou essa substância.

No entanto, a amostra tirada do equipamento responsável pelo resfriamento da cerveja também apontou a presença do produto tóxico encontrado nos lotes contaminados. “Esse líquido circula pelos tanques de cerveja, a princípio, sem contato com a bebida. Essa amostra comprovou se tratar de monoetilenoglicol e dietilenoglicol.”

A Polícia Civil e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) retornaram à sede Backer, no bairro Olhos D’Água, região Oeste de Belo Horizonte, na manhã desta terça-feira, para inspecionar a engenharia dos tanques utilizados na produção de cerveja.

Nos próximos dias devem ficar prontos os resultados dos exames de sangue e da necropsia do aposentado Paschoal Dermatini Filho, de 55 anos, que morreu em Juiz de Fora, na Zona da Mata, com sintomas da síndrome. Morador de Ubá, na mesma região, ele veio a Belo Horizonte no fim de dezembro para as comemorações de fim de ano com a família. Segundo parantes, ele teria ingerido a cerveja.

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte iniciou nesta segunda-feira o recebimento de unidades de qualquer lote da cerveja, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Serão recolhidas apenas as garrafas compradas para consumo próprio. Não serão recebidos produtos de bares, restaurantes e supermercados.

Locais onde as garrafas serão recolhidas pela Secretaria de Saúde:

Barreiro: av. Olinto Meireles, 327 – Barreiro
Centro-Sul: av. Augusto de Lima, 30 – 14ª andar – Centro
Leste: rua Salinas, 1.447 – Santa Tereza
Nordeste: rua Queluzita, 45 – Bairro São Paulo
Noroeste: rua Peçanha, 144, 5º andar – Carlos Prates
Norte: rua Pastor Murilo Cassete, 85 – São Bernardo
Oeste: av. Silva Lobo, 1.280, 5º andar – Nova Granada
Pampulha: av. Antônio Carlos, 7.596 – São Luiz
Venda Nova: av. Vilarinho, 1.300 – 2º Piso – Parque São Pedro

(Itatiaia BH)

Compartilhar via: