O programa Chamada Geral desta quarta-feira (24) ouviu o médico intensivista Dr. Norberto de Sá Neto, que atua como diarista da UTI Unimed regional e também é plantonista da UTI-Covid do Hospital Municipal de Ipatinga.

Membro da Sociedade Mineira de Medicina Intensiva, ele conversou com o jornalista Jefferson Rocha a respeito de uma nota (que ele também assina) publicada pela SMMI nessa terça (23) sobre a preocupação dos profissionais com o nível de ocupação das UTIs na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Na entrevista, ele contextualiza o problema em relação à realidade do Vale do Aço.

Acompanhe:

Confira a nota na íntegra da Sociedade Mineira de Medicina Intensiva:

“Nós, médicos intensivistas que estamos cuidando dos pacientes mais graves com COVID-19 em Belo Horizonte, queremos alertar que o número de pacientes graves internados continuou subindo muito nessa última semana (16/06 a 23/06).

A ocupação dos leitos públicos só não atingiu o nível mais crítico porque foram abertos mais 30 novos leitos de UTI. Também foram abertos novos leitos nas UTIs privadas para manter preservada sua capacidade de atendimento até o momento.

Mas é importante que todos entendam:

* O número de pacientes internados em UTI ao fim dessa terceira semana de junho é MAIS DO DOBRO que 30 dias atrás.
* O número de pacientes em ventilação mecânica artificial é MAIS DO QUÁDRUPLO do que a 30 dias atrás.

Isso mostra que tem aumentado muito o número e a gravidade dos casos que estamos atendendo. É certo que o risco de uma pessoa se infectar está aumentando nessa mesma proporção.

Por isso, para que não cheguemos a uma situação de colapso, é absolutamente essencial que aumentemos nossos cuidados e medidas de prevenção para conseguir reduzir a velocidade atual de transmissão.

As medidas de prevenção são:

* Manter o distanciamento de 2 metros de outras pessoas e só sair de casa se absolutamente essencial.
* Evitar qualquer local com acúmulo de pessoas, sobretudo se for ambiente fechado.
* Intensificar a frequência de higiene das mãos antes e após qualquer situação de risco.
* Usar máscaras corretamente, cobrindo o nariz e a boca.
* Ao primeiro sintoma suspeito (como febre, tosse, cansaço, perda de olfato) entrar em contato com o médico, procurar fazer o teste e iniciar o isolamento.

Se cuidem e compartilhem esse alerta com seus familiares e amigos.

Dr. Achilles Rohlfs Barbosa, Aguinaldo Bicalho Ervilha Junior, Dra. Aline Siqueira Melo Maurício, Dr. Argenil José Assis de Oliveira, Dra. Bianca Souza de Resende, Dr. Carlos Eduardo Ornelas, Dr. Cláudio Dornas de Oliveira, Dra. Carolina Tavares, Dr. Cássio Fernando de Assis Carvalho, Dra. Daniella Reis Rabelo, Dr. Danilo de Castro Pires de Almeida, Dr. Eduardo Sad, Dr. Francisco Rezende Silveira, Dr. Frederico Rodrigues Anselmo, Dr. Glauberson Cardoso Vieira, Dr. Glaucio de Oliveira Nangino, Dr. Guilherme Mirachi, Dr. Gustavo Decina Vieira, Dr. Haislan Silva Levenhagen Ferreira, Dr. Heigler Leite, Dr. Hugo Correia Andrade Urbano, Dr. Joel Teles Correa Oliveira, Dr. Jorge Paranhos, Cr. José Carlos Fernandez Versiani dos Anjos, Dr. Lucas Timm Pisoler, Dr. Luidy Cardoso, Dr. Maurício Meireles Goes, Dra. Marcela Rangel de Castro, Dra. Maria Aparecida Braga, Dr. Norberto de Sá Neto, Dr. Pedro Paulo dos Santos, Dr. Rodrigo Pinheiro Lanna, Dr. Rodrigo Santana Dutra, Dr. Rogério de Castro Pereira, Dr. Rogério Sad, Dr. Saulo R. Oliveira Freitas, Dra. Teresa Gamarano Barros, Dr. Thiago Bragança Lana Silveira Ataide, Dr. Vandack Alencar Nobre Junior”.

 

Compartilhar via: