A partir do mês que vem, delegados e escrivães vão ficar em uma central na Cidade Administrativa

Uma mudança prevista para julho promete revolucionar a estrutura das delegacias de Plantão da Polícia Civil em grande parte de Minas Gerais. A informação foi obtida em primeira mão pelo repórter Renato Rios Neto, da Itatiaia.

A partir do mês que vem, delegados e escrivães não ficarão mais nas delegacias que recebem as ocorrências policiais no plantão, as chamadas Deplans. As estruturas físicas serão mantidas para o recebimento dos presos e materiais apreendidos, mas os delegados e escrivães ficarão em uma central na Cidade Administrativa, sede do governo de Minas, onde irão receber as ocorrências de maneira virtual.

A Central Estadual do Plantão Digital vai atender Belo Horizonte e cidades da segunda região, que engloba Contagem, Betim e Ribeirão das  Neves, além de Uberlândia, no Triângulo Mineiro.  A central também receberá as ocorrências de trânsito.

O delegado Joaquim Francisco Neto, chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, explica que o objetivo é ‘otimizar o emprego da força de trabalho’. Somente em Belo Horizonte são 24 delegacias com um delegado cada uma e, aproximadamente, três mil procedimentos para cada responsável pelas unidades.

“Otimizando força de trabalho disponível, a gente tem condição de fortalecer mais o trabalho de investigação, que cada à nossa instituição realizar. Com os plantões sendo executados de forma digital e o delegado em uma central, esperamos que ocorra menos filas e que ocorra uma maior dinamicidade no atendimento das ocorrências. Isso haverá de ser positivo para a vítima, para as testemunhas, para advogados, para a instituição Polícia Militar e sem qualquer prejuízo à Polícia Civil e para a garantia de direitos”, diz o delegado.

Joaquim Francisco Neto detalha que a Central Digital do Plantão vai reunir todos os delegados em um mesmo ambiente.  “É bom que fique registrado também que esses pontos de atendimento não serão modificados. Nós temos quatro Deplans e as quatro continuam existindo. Ao lado disso, uma central que vai funcionar com atendimento mais dinâmico”, diz Neto.

Com o novo formado, o chefe da Polícia Civil explica, por exemplo, que um delegado poderá atender a demanda de outra Deplan. “Eventuais ajustes serão procedidos ao longo do caminho. Se for preciso fazer adaptações rápidas a gente tem condições de fazer”, disse Neto.

Por: Renato Rios Neto

Compartilhar via: