Por: Itatiaia BH

Foto: Foca Lisboa/UFMG

 

A Polícia Civil divulgou nesta quinta-feira informações sobre a prisão nessa quarta (22) de cinco suspeitos de tráfico de drogas no campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte. Nenhum deles é aluno da instituição.

Os investigadores do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc) foram ao prédio da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) cumprir três mandados de busca e apreensão. No Diretório Acadêmico (DA) de Filosofia encontraram 144 buchas e 600 gramas de maconha. Foram presos Felipe Augusto da Silva, de 27 anos, Vinícius Harper Figueira, de 31, Vitor Junio Ventura Neves dos Santos, de 25. Todos já têm passagens pela polícia, e Felipe foi detido há duas semanas, no bairro Sumaré, região Nordeste de BH.

O delegado Rodolpho Tadeu Machado, da 2ª Delegacia do Denarc, afirma que as investigações já apontavam que ali era um ponto de tráfico. “A boca de fumo funcionava de 7h às 22h, com intenso fluxo.”

Em frente ao prédio de Belas Artes, apreenderam 1kg de haxixe e prenderam Alvaci Pereira Júnior, conhecido como Alface, e Thiago Tadeu Santos Oliveira, ambos de 25 anos.

O delegado Windsor de Mattos Pereira, chefe da 1ª Delegacia Antidrogas da Polícia Civil, explica que na universidade não há competição por espaço entre os vendedores de droga. “É um tráfico estilo ‘formiguinha’, envolve muitos traficantes porque o consumo ali é de um grau elevado. Já que se instalou a fome com a vontade de comer, o traficante vai ganhar dinheiro. Com a fragilidade da segurança pública por ‘N’ fatores, talvez isso tenha motivado o caos atual, porque é sabido que o tráfico ali existe de longa data”, diz.

As investigações começaram há cerca de dois meses e continuam. Um dos objetivos é avaliar a suspeita de que estudantes usam produtos dos laboratórios da UFMG para produzirem drogas sintéticas.

 
Compartilhar via: