Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

O advogado Sérgio Santos Rodrigues foi eleito o novo presidente do Cruzeiro, nesta quinta-feira, para um mandato-tampão que irá até o dia 31 de dezembro deste ano. Por 269 votos a 75, o candidato da chapa ‘Centenário’ venceu na disputa o empresário Ronaldo Granata, da chapa ‘Cruzeiro Primeiro’, em eleição realizada no Ginásio do Barro Preto, em Belo Horizonte.

Dos 424 conselheiros aptos a votar, 351 compareceram ao Ginásio do Barro Preto para exercer o direito a escolher o novo presidente do clube e a mesa diretora do Conselho Deliberativo. O ex-presidente Wagner Pires de Sá e o ex-vice Hermínio Lemos não apareceram para votar.

Com Sérgio Rodrigues foram eleitos também Lidson Potsch Magalhães (1º vice-presidente) e Biagio Teodoro Peluso (2º vice-presidente). Eles cumprirão o restante do mandato que era de Wagner Pires de Sá, que renunciou ao cargo em dezembro do ano passado, juntamente com toda a diretoria, acusado de corrupção no clube.

O novo presidente comemorou a vitória em postagem no Twitter. “Com muita honra e uma enorme alegria, encaro o maior desafio da minha vida: a Presidência do Cruzeiro Esporte Clube. Comprometo-me a colocar em prática tudo que propus e farei todo o possível para que o clube retorne ao seu devido lugar de destaque”, escreveu.

“Contarei com os melhores profissionais em nossa equipe, com os colaboradores do clube e conto sobretudo com essa imensa e apaixonada torcida. Muito obrigado pelo apoio de grande parte da torcida, conselho, sócios, funcionários, patrocinadores, amigos, dos meus companheiros de chapa, minha família e de todos incentivadores. Que Deus nos ilumine e que venha o centenário. Vamos em frente, Nação Azul!”, completou.

Algumas das missões de Sérgio Rodrigues à frente do Cruzeiro serão finalizar a montagem do time para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro e pagar dívidas do clube na Fifa. Um desses débitos, que é com o FC Zorya, da Ucrânia, pela compra do atacante Willian ‘Bigode’ em 2014, vence no próximo dia 29 e a diretoria precisará quitar cerca de R$ 10 milhões para não perder seis pontos na Segunda Divisão.

Na última terça-feira (19), a Raposa já foi punida pela Fifa e irá começar a Série B com seis pontos negativos por não pagar a dívida de aproximadamente R$ 5 milhões com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, pelo empréstimo do volante Denílson, em 2016.

Em outubro haverá uma nova eleição para a presidência do Cruzeiro para escolher o novo mandatário para o trênio 2021/2023.

(Itatiaia BH)

Compartilhar via: