Ministros também decidiram incluir o presidente no ‘inquérito das fake news’, que corre no STF

Foto: Alan Santos/PR

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na noite desta segunda-feira (2) medidas contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em razão das declarações de supostas fraudes no sistema eleitoral. Os ministros decidiram abrir um inquérito administrativo e, ainda, pedir a inclusão do presidente no chamado “inquérito das fake news” que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) sob a relatoria do ministro Alexandre de Moraes.

Proposto pela Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral,  o inquérito administrativo vai apurar se, ao apontar supostas fraudes sem aprovar provas contra a Justiça Eleitoral e o sistema eletrônicos de votações, o presidente praticou “abuso do poder econômico e político, uso indevido dos meios de comunicação, corrupção, fraude, condutas vedadas a agentes públicos e propaganda extemporânea”.

Segundo técnicos do TSE, o inquérito eleitoral pode acarretar em impugnação de registro da candidatura de Bolsonaro ou inelegibilidade do presidente.
Em live na última quinta-feira (29), Bolsonaro admitiu não ter provas das fraudes. Mesmo assim, apresentou vídeos falsos sobre supostas irregularidades já desmentidos pelo TSE.

(Por: Rede Itatiaia)

Compartilhar via: