Por: Itatiaia BH

Mais uma vez o Cruzeiro ocupa as páginas policiais. Imóveis do presidente Wagner Pires de Sá, do vice de futebol Itair Machado e do diretor-geral Sérgio Nonato são alvo de busca e apreensão na manhã desta terça-feira. A operação da Polícia Civil está relacionada às denúncias de lavagem de dinheiro, falsificação de documento particular e falsidade ideológica que vieram à tona após reportagem do Programa Fantástico, em 26 de maio. Agentes da Polícia Civil também fizeram buscas na sede administrativa do Cruzeiro, no Barro Preto, e na Toca da Raposa I e II

A operação ocorre a dois dias do clássico contra o Atlético, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Em nota, o clube diz apoiar as investigações, mas mostra desagrado com o momento da operação. “O clube informa que entregou às autoridades toda a documentação solicitada para a investigação”, diz. “Lamentamos apenas que este fato esteja acontecendo exatamente às vésperas de uma decisão importante na Copa do Brasil”.

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as irregularidades com base no balanço contábil analítico do clube, que demonstra pagamentos feitos pelo Cruzeiro no decorrer do ano passado.

Além da Polícia Civil, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) instaurou procedimento investigatório criminal para apurar possíveis irregularidades da diretoria do Cruzeiro.

O Cruzeiro também tem o nome envolvido com a Polícia Federal (PF), já que membros ligados ao setor administrativo do clube são investigados pela corporação no âmbito da Operação Escobar.

 
Compartilhar via: