Por: Itatiaia BH

Foto: Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.

O presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Zezé Perrella, afirmou que irá criar uma sindicância para apurar as denúncias apresentadas pelo ‘Fantástico’, da TV Globo, contra a atual diretoria do clube. Em entrevista ao portal Superesportes, o ex-senador da República disse que “faltou coragem” aos conselheiros Celso Luiz Chimbida, Geraldo Luiz Brinat, Ubirajara Pires Glória, Valter Batista e Daniel Faria, que renunciaram ao Conselho Fiscal alegando falta de transparência e da direção e que não tiveram acesso a certos documentos solicitados.

A atual diretoria do Cruzeiro, encabeçada por Wagner Pires de Sá e Itair Machado, é alvo de uma investigação da Polícia Civil de Minas Gerais. De acordo com o ‘Fantástico’, a polícia instaurou inquérito para apurar denúncias de supostas irregularidades envolvendo a venda de direitos econômicos de jogadores da base e do time profissional a um empresário não ligado ao futebol, além de indícios de pagamentos suspeitos, falsificação de documento particular, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

“Se eles renunciaram, para mim faltou coragem deles. Eles tinham outro caminho. O Estatuto prevê que o Conselho Fiscal pode contratar uma auditoria. Eles deveriam ter contratado uma auditoria. Com esse direito a auditoria, eles tinham outro caminho. Eu nunca fui omisso, mas não é minha atribuição. Estou fazendo uma comissão, uma comissão de sindicância, composta por três membros, que vai ter acesso a toda documentação do clube. Na parte de salário de jogador, tem confidencialidade. É preciso tomar cuidado com risco de sequestro. Mas essa comissão vai ter acesso aos documentos”, disse.

Zezé explicou que, diante dos pedidos de renúncia dos integrantes do Conselho Fiscal, a convocação de novas eleições para o órgão deve ocorrer em meados de junho.

Sobre a denúncia de que conselheiros recebem para trabalhar no Cruzeiro, Zezé avisou que tomará medidas para evitar que os membros que pratiquem a dupla função participem de votações do Conselho Deliberativo.

Por fim, Zezé também comentou sobre o empréstimo de R$ 2 milhões obtidos junto ao empresário Cristiano Richard em março de 2018. Um mês depois, a diretoria celeste assinou um novo contrato se comprometendo a quitar a dívida cedendo porcentagem dos direitos econômicos de dez atletas, incluindo nomes da base e do time profissional, como o zagueiro Murilo (7%) e os atacantes Raniel (5%) e David (20%), além do goleiro Gabriel Brazão (20%), negociado no início deste ano com o Parma-ITA por cerca de R$ 11 milhões.

“Não estou defendendo ninguém. Eles (diretoria do Cruzeiro) entenderam que todos os jogadores são ativo do clube. Eu não tinha acesso aos documentos, eu não tenho acesso. Isso é papel do Conselho Fiscal. Eles deram (os ‘direitos’) como garantia de pagamento. Se amanhã algum deles for vendido, esse senhor (Cristiano Richard, que emprestou o dinheiro) poderia revindicar os R$ 2 milhões. Seria só uma garantia. Se tivesse repassado os direitos por aquele valor, seria um negócio muito preocupante. Eu posso dar um bem meu de R$ 50 milhões para garantir uma dívida de R$ 200. Foi isso que fizeram. Mas veja bem, eu jamais daria isso como garantia. Eu só acho que as explicações foram razoáveis. Não estou aqui para passar a mão na cabecinha de ninguém”, afirmou.

Nesta quarta-feira, Zezé Perrella deve se manifestar novamente através de nota oficial. Um dos assuntos é o pleito que será marcado para a escolha do novo Conselho Fiscal do clube.

 
Compartilhar via: